Parceiros tem papel estratégico na iniciativa

Desde que a ideia do Hack for Brazil – Covid-19 foi startada, o projeto não para de reunir participantes e parceiros. São mais de 2mil pessoas e 500 ideias apresentadas. Os participantes foram divididos em 50 grupos. E a iniciativa não está restrita ao Brasil. Também foram formadas equipes dos Estados Unidos/Canadá, da Espanha e da Eurásia. 

Para tornar isso possível, além da GROW+, que lidera a iniciativa, estão junto mais de 40 empresas e instituições, como a Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia, o Pacto Alegre, o HealthPlus e o BioHub. Algumas destas estão envolvidas em etapas cruciais, como o desenvolvimento da plataforma e apoio na busca por investimentos das ideias.

Confira o que dizem alguns parceiros importantes deste projeto

“Neste momento de muitas incertezas e ansiedade, pessoas e empresas estão se unindo, criando iniciativas sociais para ajudar todos a enfrentarem este período turbulento. Na Konecty, nosso propósito é trabalhar com empresas para alavancar novos negócios e fez todo o sentido apoiar o Hack for Brazil. A plataforma cria oportunidades incríveis para todos fazerem um pouco pelo coletivo. Percebemos espaço para colaborar na criação da plataforma, para que o movimento realmente conecte as pessoas e que muitas iniciativas sejam criadas. Trabalhando junto com a GROW+,desenvolvemos um sistema para criação rápida das páginas dos projetos. Isso foi realizado em cima do nosso software de organização dos dados e conteúdos que possibilitou criar a estrutura necessária de forma ágil. Olhamos para o futuro da plataforma com entusiasmo e esperança”. Derotino Silveira, CEO da Konecty, e Marcus MouraCPO da Konecty

“A nossa participação vai crescer muito agora nesta fase do Hack for Brazil – Covid-19, pois vamos usar a plataforma da Umov.me para apoiar de forma ágil na estrutura de prototipagem, validação de ideias e prova de conceito. Temos muita expectativa de a nossa plataforma apoiar nesse contexto, especialmente no caso dos participantes que tenham soluções mobile”. Daniel WildtChiefHeart Officer da uMOV.me

“Ficamos muito felizes pelo fato de estarmos junto neste projeto, que tem uma probabilidade muito grande de gerar efeito positivo na medida em que a população pode se envolver, investir e sentir que pode fazer parte deste movimento para combater o Covid-19. Somos autorizados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e vamos usar um modelo em que parte da captação já vem da instituição, no caso da GROW+ e a outra é captada de qualquer pessoa que tiver interesse em contribuir. Isso vai possibilitar buscar um recurso maior e validar que aquela ideia é apoiada pela população”.  Paulo Deitos, CEO da CapTable