Divulgação Slidebean/Unsplash

Artigo

out

06

2020

Pandemia levou a uma corrida por empresas com produtos e soluções diferenciadas

Mercado de venture capital tem recursos abundantes para startups com tecnologias inovadoras

O mundo do capital de risco ou venture capital, como se diz neste mercado de investimentos, está nadando em capital. Os recursos são abundantes para as startups e esse ritmo não diminuiu com a pandemia, pelo contrário, um novo mundo emergiu, totalmente renovado e diferente.

A transformação digital associada à inovação mudou o jogo para os capitalistas de risco e suas empresas investidas. Antes focados em uma única área geográfica, buscando empresas localmente, agora passaram a olhar startups em todas as regiões.

Muitos daqueles que usavam a sua força e inteligência corporativa para competir, mas enfrentaram dificuldades para se adaptar à era digital, já estão fora do jogo. A realidade é que as empresas estão loucas atrás de tecnologias, implorando para que seus clientes não os deixem para trás. Mas, como esperar por alguém que não demonstra mais capacidade para correr e competir?

Preparação ou adaptação?

Especialistas em inovação sabem que é tarde demais para preparar o corpo diretivo e treinar ou capacitar pessoas para levar o negócio ao próximo nível. É preciso se adaptar a um cliente diferente, a um mundo onde a velha forma de fazer negócios está em desuso.

As captações de fundos de capital de risco seguem mudando na tentativa de se adaptar ao aumento de fundos circulantes e outros novos veículos de capital semente. Muitos, aliás, foram recém-criados para atender a demanda por startups e empresas de tecnologia de diversos estágios, agora em um mundo plano.

A pandemia criou um senso de urgência. Muitas empresas que haviam adiado a compra ou o investimento em tecnologia, e não aceleraram a velha jornada de transformação digital, se viram em um mundo em que a prioridade passou a ser o digital. Houve uma atração massiva por empresas e produtos de tecnologia. Aliás, essa é a razão pela qual muitas empresas e startups tiveram trimestres com recordes incríveis.

Quando estruturamos captações em fundos de investimento e levantamos esses recursos, temos um determinado prazo para aplicá-los, geralmente, de dois a cinco anos. Portanto, nós, investidores, não podemos esperar até que a pandemia diminua e as coisas se resolvam. Temos pouco tempo para selecionar startups, colocá-las em uma planilha chamada dealflow e iniciar rodadas de investimento.  Mas, isso não pode ser uma aventura. É preciso cadência, estratégia, cautela e uma boa dosagem de visão e paixão.

Muitos investidores de risco pegaram carona nesse campo magnético e têm investido num ritmo mais rápido do que no passado. Para empresas com produtos bem posicionados nessa era digital, mesmo em estágio inicial de crescimento e de todos os setores, existe uma oferta incrível de investimento de risco.

Inovações aplicadas a múltiplos setores

Durante a pandemia, muitas companhias se viram em uma situação muito debilitada. E não apenas pela ausência de clientes e por estarem com as portas fechadas, mas por perceberem que, com a retomada, eles continuaram sem voltar. É como se eles olhassem para as atrações criadas e elas, de repente, não atraiam mais. Todos os ativos e atrativos viraram museu.

Os recursos são abundantes para as startups, mas, sabemos que uma solução tem chances de êxito quando ela, de fato, resolve a dor de uma determinada persona, ou de um conjunto delas, em torno de uma vertical, de um setor, de uma indústria. Normalmente, esta solução tem tecnologia aplicada, como Inteligência Artificial, Realidade Virtual, Internet das Coisas, entre tantas outras.

Com a chegada destas novas tecnologias, incorporadas em produtos e serviços, setores como a saúde e o varejo tiveram um impacto drástico na forma de fazer negócios. Nós mesmos sentimos estas mudanças acontecerem, seja na forma de comprar, pesquisar um produto ou fazer uma consulta médica. Tudo mudou. Temos que nos familiarizar com os desenvolvimentos mais recentes para sermos capazes de controlar a tecnologia e não o contrário.

Você tem medo que robôs assumam as funções de enfermeiras, médicos e outros profissionais da saúde? Receia fazer um teste genético porque ele pode revelar o dia da sua morte? Tem medo de ir ao shopping e se deparar com uma pessoa infectada pela Covid-19 na escada rolante?

As jornadas fluidas e sem atrito do cliente se tornarão ainda mais fundamentais, enquanto as tendências de varejo existentes em relação ao bem-estar, sustentabilidade e comunidade irão acelerar a medida que os consumidores se tornarem mais criteriosos sobre como gastar seu dinheiro suado.

Tecnologias para se investir em tempos de pandemia

Inteligência Artificial (IA)

A Inteligência Artificial tem o potencial de redesenhar completamente a saúde, o varejo, o agronegócio e as finanças. Os algoritmos de IA são capazes de obter dados de compra, extrair registros médicos e projetar planos de tratamento muito mais rápido do que qualquer ator atual na paleta de saúde, incluindo qualquer profissional.

2. Multicanais 

Os consumidores não pensam em canais, eles querem comprar em qualquer lugar – pesquisas afirmam que 65% deles já indicam essa possibilidade como um fator crítico na escolha de onde comprar. Os varejistas tiveram que mudaram de uma mentalidade omnichannel para uma experiência de cliente completamente sem atrito, que atenda os consumidores onde quer que eles estejam. Isso é especialmente crucial no contexto da adoção digital acelerada pelos consumidores como resultado da Covid-19. Estas soluções já estão recebendo aportes incríveis de capital de risco, afinal de contas, se bem estruturadas, podem fazer a diferença para um comércio ansiosa para a retomada.

3. Realidade Virtual

A Realidade Virtual (RV) está mudando a vida de pacientes e médicos. No futuro, você poderá assistir às operações como se empunhasse o bisturi ou assistir uma aula dentro do corpo humano sentado no seu sofá. Estas tecnologias, se bem aplicadas pelas startups podem ser um analgésico para a dor dos cliente e trazer grandes apostas de investidores ávidos por tecnologias transversais, aplicáveis nos setores da saúde, do varejo e da educação.

4. Santuários de bem-estar “figital”

A ideia de uma loja futurista, como um local seguro e sustentável de bem-estar, ganhou força nos últimos dois anos, devido à crescente preocupação dos consumidores com a saúde e o meio ambiente. O design circular, a biofilia e a purificação do ar são tópicos emergentes no design de tijolo e argamassa, iniciado por marcas com uma forte postura sustentável. Inspirados pela explosão da indústria de bem-estar, muitos varejistas também começaram a integrar produtos e serviços de bem-estar à oferta da loja. Espera-se um novo mercado de investimento de risco para soluções que incorporem tecnologia associada ao bem-estar, mesmo sendo mais físico do que digital

5. Rastreadores de saúde, vestíveis e sensores

Como o futuro da medicina e da saúde está intimamente ligado ao empoderamento dos pacientes, bem como dos indivíduos que cuidam de sua própria saúde por meio de tecnologias, não posso deixar de destacar rastreadores, dispositivos vestíveis e sensores de saúde do corpo e da mente. Eles são ótimos recursos para sabermos mais sobre nós mesmos e retomar o controle sobre nossas próprias vidas. É grande a aposta de investimento de risco nos próximos anos nesta área.

Enfim, um mundo se abriu para os clientes, que tiveram que se virar na pandemia, comprar seu almoço na internet, buscar sua informação na web, perceber que tudo, absolutamente tudo, estava acontecendo no digital. E mais, isso não é passageiro e amanhã as coisas não voltarão a ser como eram.

Se você tem uma ideia de negócio inovador ou já está pilotando uma startup em crescimento, não deixe de observar as mudanças e os novos caminhos que a pandemia nos obrigou a trilhar. E, lembre-se bem, é preciso antes conhecer a persona para, então, saber qual a dor que seu analgésico resolve. Existe um punhado de investidores obcecados por empreendedores com essa visão.

Paulo Beck, CEO da GROW+

Paulo Beck, CEO da GROW+

Empreendedor em série, investidor-anjo, conselheiro de empresas e executivo corporativo.
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter

Artigos Relacionados

Quer informação e conteúdo para construir o novo?

A nossa news é pra você!

Nossas Soluções

Trilhas de Inovação Aberta

Nossa entrega mais digital de todos os tempos.
Projetada para uma experiência incrível. Uma nova dimensão para a inovação aberta, harmonizando (intra) empreendedorismo com startups.

Programas de Inovação Corporativa

Revolucionários.
A ponte entre startups e (intra) empreendedorismo.
Criar desafios, gerar ideias, colaborar e conectar-se com startups. Diferentes caminhos para criar, gerenciar e capturar a inovação.

Editorias

Quer informação e conteúdo para construir o novo?

A nossa news é pra você!