, ,

Glossário de economia digital

Patricia Rech, lead of Corporate Ventures da GROW+

O que é uma PoC?

Proof of Concept (PoC), em português “Prova de Conceito”, é um termo muito usado no ecossistema de inovação e tem por objetivo comprovar que determinada solução tem uma aplicação prática, útil e passível de ser explorada comercialmente por uma empresa.

Um ponto de partida para realizar uma PoC é a identificação, por parte de uma empresa ou indústria, de um conceito, demanda ou problema que queira validar ou testar. Para isso, ela conta, geralmente, com a expertise técnica de startups ou empresas que se proponham a testar sua solução. 

Ao final da PoC, o trabalho passa por uma avaliação, a fim de verificar a viabilidade da solução e avaliar sua adoção em escala pela empresa demandante.  Muitas vezes, a PoC é resultado de um desenvolvimento conjunto, pois a startup disponibiliza conhecimentos técnicos enquanto a empresa demandante disponibiliza informações relevantes para o desenvolvimento da solução, além de recursos humanos qualificados, recursos financeiros e de infraestrutura.

Quais os requisitos para garantir uma PoC assertiva?

O primeiro passo é que a empresa que está demandando esse desenvolvimento tenha clareza sobre o problema, setores envolvidos e recursos impactados. Para que a PoC seja bem executada, ela precisa anteriormente ser bem pensada e desenhada, ou seja: necessita-se de um design do problema.

A segunda etapa é fazer uma seleção cautelosa do parceiro que irá participar do projeto. Isso inclui buscar uma startup que domine a inteligência do produto a ser desenvolvido, tenha experiência e maturidade para encarar todas as fases do projeto. Além disso, é fundamental contar com a expertise de uma empresa parceira que facilite e acompanhe esse processo.

Feito isso, é preciso que ocorra um alinhamento de expectativas da indústria demandante e da startup, inclusive com a presença de profissionais, dos dois lados, com amplo conhecimento do que precisa ser feito.

Como uma PoC bem feita pode gerar benefícios para todos os participantes do processo?

Ao fazer uma PoC a startup está ajudando a solucionar um problema que a empresa ou indústria não conseguia resolver ou que era economicamente pouco interessante dedicar tempo e recursos para fazê-lo. Como as startups tendem a desenvolver soluções no estado da arte, é mais vantajoso contar com essa expertise, ao invés de “fazer tudo internamente”. Neste sentido, se a startup realizar uma prova de conceito cuja solução, em escala, seja economicamente viável, são grandes as chances de que o seu resultado seja uma inovação incremental ou até disruptiva, pois tende a ser adotada em grande escala pela empresa (ou até mesmo pelo mercado).

A PoC também é a oportunidade de as empresas tradicionais e startups aprenderem a trabalhar juntas, e dos players tradicionais passarem a enxergá-las como um potencial parceiro comercial, principalmente para o desenvolvimento de inovações e novos modelos de negócios.

É fundamental destacar, no entanto, que uma startup não é um fornecedor tradicional, e não deve ser confundida com “um meio mais barato para fazer o que já faço”. As startups, de forma geral, não possuem os recursos (humanos e financeiros) tampouco a escala que grandes empresas de fornecimento possuem. Assim, seu principal ativo é o conhecimento diferenciado, tão valioso para empresas estabelecidas que precisam se reinventar de forma rápida sem depender apenas da área de pesquisa e desenvolvimento (P&D).

Além disso, nesse contexto de nova economia digital, outro benefício é a mudança cultural. Na medida em que a empresa estabelecida participa destes processos e interage mais com startups, ela passa a identificar novas possibilidades e oportunidades de negócios, seja inovando em produtos ou processos, ou até mesmo redesenhando modelos de negócio como um todo. A própria forma de trabalhar passa por mudanças, afetando a cultura organizacional positivamente.